22/10/2017


29° Domingo do Tempo Comum - Ano A

Cor: verde, 1ª semana do saltério

Dia das Missões

Aclamação ao Evangelho

Aleluia, Aleluia, Aleluia.
Como astros no mundo vós resplandeçais,
mensagem de vida ao mundo anunciando,
da vida a Palavra, com fé, proclameis,
quais astros luzentes no mundo brilheis.

Evangelho

Dai, pois, a César o que é de
César e a Deus o que é de Deus.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 22,15-21

Naquele tempo:
Os fariseus fizeram um plano
para apanhar Jesus em alguma palavra.
Então mandaram os seus discípulos,
junto com alguns do partido de Herodes,
para dizerem a Jesus:
'Mestre, sabemos que és verdadeiro
e que, de fato, ensinas o caminho de Deus.
Não te deixas influenciar pela opinião dos outros,
pois não julgas um homem pelas aparências.
Dize-nos, pois, o que pensas:
É lícito ou não pagar imposto a César?'
Jesus percebeu a maldade deles e disse: 'Hipócritas!
Por que me preparais uma armadilha?
Mostrai-me a moeda do imposto!'
Trouxeram-lhe então a moeda.
E Jesus disse:
'De quem é a figura e a inscrição desta moeda?'
Eles responderam: 'De César.'
Jesus então lhes disse:
'Dai pois a César o que é de César,
e a Deus o que é de Deus.'

Palavra da Salvação.

Primeira Leitura

Tomei Ciro pela mão direita, para que
submeta os povos ao seu domínio.

Leitura do Livro do Profeta Isaías 45,1.4-6

Isto diz o Senhor sobre Ciro, seu Ungido:
'Tomei-o pela mão
para submeter os povos ao seu domínio,
dobrar o orgulho dos reis,
abrir todas as portas à sua marcha,
e para não deixar trancar os portões.
Por causa de meu servo Jacó,
e de meu eleito Israel, chamei-te pelo nome;
reservei-te, e não me reconheceste.
Eu sou o Senhor, não existe outro:
fora de mim não há deus.
Armei-te guerreiro, sem me reconheceres,
para que todos saibam, do oriente ao ocidente,
que fora de mim outro não existe.
Eu sou o Senhor, não há outro.

Palavra do Senhor.

Salmo - Sl 95,1.2a.3.4-5.7-8.9-10a.c (R. 7ab)

Ó família das nações, dai ao Senhor poder e glória!

Cantai ao Senhor Deus um canto novo,*
acantai ao Senhor Deus, ó terra inteira!
manifestai a sua glória entre as nações,*
e entre os povos do universo seus prodígios!

Pois Deus é grande e muito digno de louvor,*
é mais terrível e maior que os outros deuses,
porque um nada sóo os deuses dos pagãos.
Foi o Senhor e nosso Deus quem fez os céus.

Ô família das nações, dai ao Senhor,*
ó nações, dai ao Senhor poder e glória,*
dai-lhe a glória que é devida ao seu nome!
Oferecei um sacrifício nos seus átrios.

Adorai-o no esplendor da santidade, *
terra inteira, estremecei diante dele!
Publicai entre as nações: 'Reina o Senhor!'*
pois os povos ele julga com justiça.

Segunda Leitura

Recordamos sem cessar da vossa
fé, da caridade e da esperança.

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses 1,1-5b

Paulo, Silvano e Timóteo,
à igreja dos tessalonicenses,
reunida em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo:
a vós, graça e paz!
Damos graças a Deus por todos vós,
lembrando-vos sempre em nossas orações.
Diante de Deus, nosso Pai,
recordamos sem cessar a atuação da vossa fé,
o esforço da vossa caridade e a firmeza da vossa
esperança em nosso Senhor Jesus Cristo.
Sabemos, irmãos amados por Deus,
que sois do número dos escolhidos.
Porque o nosso evangelho não chegou até vós
somente por meio de palavras,
mas também mediante a força que é o Espírito Santo;
e isso, com toda a abundância.

Palavra do Senhor.

Textos Eucológicos do 29° Domingo do Tempo Comum

Antífona de entrada

Clamo por vós, meu Deus, porque me atendestes; inclinai vosso ouvido e escutai-me. Guardai-me como a pupila dos olhos, à sombra das vossas asas abrigai-me.

Oração do dia

Deus eterno e todo poderoso, dai-nos a graça de estar sempre ao vosso dispor, e vos servir de todo o coração.
Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso filho, na unidade do espírito Santo.

Sobre as oferendas

Dai-nos, ó Deus, usar vossos dons servindo-vos com liberdade, para que, purificados pela vossa graça, sejamos renovados pelos mistérios que celebramos em vossa honra.
Por Cristo nosso Senhor.

Antífona de comunhão

Eis que o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem e que confiam esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria.

Ou

O filho do homem veio dar a sua vida para a salvação dos homens.

Depois da comunhão

Dai-nos, ó Deus, colher os frutos da nossa participação na Eucaristia para que, auxiliados pelos bens terrenos, possamos conhecer os valores eternos. Por Cristo, nosso Senhor.

Da Carta a Proba, de Santo Agostinho, bispo

(Ep.130,8.15.17-9,18: CSEL 44,56-57.59-60)          

(Séc.V)
 
Na oração exercita-se a nossa vontade

Por que nos dispersamos entre muitas coisas e, temendo rezar de modo pouco conveniente, indagamos o que pedir, em vez de dizer com o salmo: Uma só coisa pedi ao Senhor, a ela busco: habitar na casa do Senhor todos os dias de minha vida, para contemplar as delícias do Senhor e visitar seu templo? (Sl 26,4). Pois ali os dias não vêm e vão, o fim de um não é o princípio de outro. Todos ao mesmo tempo não têm fim, ali onde nem a própria vida, a que pertencem estes dias, tem fim.

Para alcançarmos esta vida feliz, a verdadeira Vida nos ensinou a orar. Não com multiplicidade de palavras, como se quanto mais loquazes fôssemos, mais nos atenderia. Mas rogamos àquele que conhece, conforme suas mesmas palavras, aquilo que nos é necessário, antes mesmo de lhe pedirmos (cf. Mt 6,7-8).

Pode alguém estranhar por que motivo assim dispôs quem já de antemão conhece nossa necessidade. Temos de entender que o intuito de nosso Senhor e Deus não é ser informado sobre nossa vontade, que não pode ignorar. Mas despertar pelas orações nosso desejo, o que nos tornará capazes de conter aquilo que se prepara para nos dar. Isso é imensamente grande, mas nós somos pequenos e estreitos demais para recebê-lo. Por isto, nos é dito: Dilatai-vos; não aceiteis levar o jugo com os infiéis (2Cor 6,13-14).

Isso é tão imensamente grande que os olhos não o viram, porque não é cor; nem os ouvidos ouviram, porque não é som; nem subiu ao coração do homem (cf. 1Cor 2,9), já que o coração do homem deve subir para lá. Isso nós o recebemos com tanto maior capacidade quanto mais fielmente cremos, com mais firmeza esperamos, mais ardentemente desejamos.

Por conseguinte, nesta fé, esperança e caridade, sempre oramos pelo desejo incessante. Contudo, em certas horas e tempos também rezamos a Deus com palavras, para nos exortar a nós mesmos, mediante seus símbolos, e avaliar nosso progresso neste desejo e a nos estimular com maior veemência a aumentá-lo. Pois tanto mais digno resultará o efeito, quanto mais fervoroso preceder o afeto.

É também por isso que diz o Apóstolo: Orai sem cessar! (1Ts 5,17). O que isso pode significar a não ser: desejai sem cessar a vida feliz, a eterna, e nenhuma outra, recebida daquele que é o único que a pode dar?

29º DOMINGO DO TEMPO COMUM ANO A

 

1. Aprofundando os textos bíblicos: Isaías 45,1.4-6; Salmo 96 (95); 1Tessalonicenses 1,1-5b; Mateus 22,15-21
No evangelho, os fariseus e herodianos tentam comprometer Jesus com uma pergunta capciosa referente ao pagamento do tributo a César. O imposto pago em moeda romana, com a efígie e o nome do imperador, considerado uma divindade, constituía-se uma forma de reconhecê-lo como tal, legitimando seu domínio. O povo pertence a Deus, pois foi criado à sua imagem e semelhança (Gn 1,27) para ter liberdade e vida plena, não para ser objeto de exploração e dominação. O ensinamento de Jesus orienta a seguir o caminho de Deus segundo a verdade. Implica coerência na responsabilidade política e prioridade no essencial, que proporciona vida plena ao ser humano: “Devolvei, pois, a César o que é de César e a Deus, o que é de Deus” (v.21). A palavra de Jesus está centrada no princípio de dar a Deus o que lhe é devido, reconhecendo-o como único Senhor da vida e da história. Trata-se do restabelecimento da verdadeira relação do ser humano com Deus através da adesão total a ser manifestada no louvor, na prática da justiça, no amor e solidariedade. Seguindo a Boa Nova proclamada por Jesus, os cristãos cooperam para o bem comum e a realização plena do Reino de Deus. A 1ª leitura acentua que Ciro, rei da Pérsia, é ungido para ser instrumento da ação de Deus, favorecendo a volta do povo exilado na Babilônia. Por meio de sua atuação, Deus é conhecido em toda a terra como o único Senhor. O salmista convida os povos a louvar o Deus Criador e soberano do universo, dando-lhe a glória que é devida ao seu nome, oferecendo-lhe sacrifícios nos seus átrios. Paulo, na 2ª leitura, saúda a comunidade cristã de Tessalônica, destinatária do escrito mais antigo do Segundo Testamento. Ele agradece a Deus pela fé ativa, empenho na caridade e firme esperança em Cristo, não obstante o pouco tempo de evangelização, quando teve que partir às pressas (cf. At 17,1-10).

2. Atualizando
Jesus ensina a centrarmos nossa vida e missão em Deus, reconhecendo-o como único Senhor ao qual tudo lhe pertence. Enquanto assumimos nossa responsabilidade política, somos chamados a dar a Deus o tributo devido, testemunhando a primazia absoluta de seu Reino no nosso agir.  

3. A palavra de Deus na celebração
A Palavra do Senhor, neste domingo, nos possibilita maior discernimento e nos chama a nos firmar em seu projeto n’Ele, o Único e eterno.
Que sejamos renovados na sua graça. Seguidores e seguidoras do Senhor, que sejamos servos e servas, optando a cada dia pelo Senhor da vida e assumindo com fé, todas as conseqüências desta opção.

4. Dicas e sugestões
Neste dia mundial da alimentação, fazer uma coleta de alimentos para ajudar as pessoas necessitadas. (Outras sugestões vejam no CARPANEDO Penha e GUIMARÃES, Marcelo. Dia do Senhor, Tempo Comum, Ano A. São Paulo, Apostolado Litúrgico/Paulinas, 249-254).


Pedidos de Oração