28/02/2024


QUARTA-FEIRA DA 2ª SEMANA DA QUARESMA


Cor: Roxa | 2ª Semana do Saltério | Ano Par (II) 


Aclamação ao Evangelho Jo 8,2

R. Salve, Cristo, Luz da vida,
companheiro na partilha!
V. Eu sou a luz do mundo;
aquele que me segue,
não caminha entre as trevas,
mas terá a luz da vida.

EVANGELHO

Eles o condenarão à morte.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 20,17-28

Naquele tempo,
enquanto Jesus subia para Jerusalém,
ele tomou os doze discípulos à parte
e, durante a caminhada, disse-lhes:
“Eis que estamos subindo para Jerusalém,
e o Filho do Homem será entregue
aos sumos sacerdotes e aos mestres da Lei.
Eles o condenarão à morte,
e o entregarão aos pagãos para zombarem dele,
para flagelá-lo e crucificá-lo.
Mas no terceiro dia ressuscitará”.
A mãe dos filhos de Zebedeu
aproximou-se de Jesus com seus filhos
e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido.
Jesus perguntou:
“O que tu queres?”
Ela respondeu:
“Manda que estes meus dois filhos
se sentem, no teu Reino,
um à tua direita e outro à tua esquerda”.
Jesus, então, respondeu-lhes:
“Não sabeis o que estais pedindo.
Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?”
Eles responderam: 
“Podemos”.
Então Jesus lhes disse:
“De fato, vós bebereis do meu cálice,
mas não depende de mim
conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda.
Meu Pai é quem dará esses lugares
àqueles para os quais ele os preparou”.
Quando os outros dez discípulos ouviram isso,
ficaram irritados contra os dois irmãos.
Jesus, porém, chamou-os, e disse:
“Vós sabeis que os chefes das nações
têm poder sobre elas e os grandes as oprimem.
Entre vós não deverá ser assim.
Quem quiser tornar-se grande,
torne-se vosso servidor;
quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo.
Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido,
mas para servir e dar a sua vida
como resgate em favor de muitos”.
Palavra da Salvação.

QUARTA-FEIRA DA 2ª SEMANA DA QUARESMA


 Cor: Roxa  | 2ª Semana do Saltério | Ano Par (II) 


Vinde, ataquemo-lo.

Leitura do Livro do Profeta Jeremias 18,18-20

Naqueles dias,
disseram eles:
“Vinde para conspirarmos juntos contra Jeremias;
um sacerdote não deixará morrer a lei;
nem um sábio, o conselho;
nem um profeta, a palavra.
Vinde para o atacarmos com a língua,
e não vamos prestar atenção a todas as suas palavras”.
Atende-me, Senhor,
ouve o que dizem meus adversários.
Acaso pode-se retribuir o bem com o mal?
Pois eles cavaram uma cova para mim.
Lembra-te de que fui à tua presença,
para interceder por eles
e tentar afastar deles a tua ira.
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL


Salmo 30(31),5-6.14.15-16 (p. 17b)

R. Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

Retirai-me desta rede traiçoeira, *
porque sois o meu refúgio protetor!
Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, *
porque vós me salvareis, ó Deus fiel! R.

Ao redor, todas as coisas me apavoram; *
ouço muitos cochichando contra mim;
todos juntos se reúnem, conspirando *
e pensando como vão tirar-me a vida. R.

A vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio, *
e afirmo que só vós sois o meu Deus!
Eu entrego em vossas mãos o meu destino; *
libertai-me do inimigo e do opressor! R.

Texto Patrístico


Do Tratado contra as heresias, de Santo Irineu, bispo 
(Lib. 4,14,2-3; 15,1: SCh100,542.548) (Séc. II)


Desde o princípio Deus criou o homem para lhe comunicar seus dons; escolheu os patriarcas, para lhes dar a salvação; ia formando um povo, para ensinar os ignorantes a seguir a Deus; preparava os profetas, para acostumar os homens a serem morada do Espírito e a viverem em comunhão com Deus. Ele, que não precisava de nada, oferecia a comunhão aos que dele precisavam. Para os que lhe eram agradáveis, desenhava, qual um arquiteto, o edifício da salvação; aos que nada viam no Egito, ele mesmo servia de guia; aos que andavam errantes no deserto, dava uma lei perfeita; aos que entravam na terra prometida, concedia uma herança; enfim, para os que voltavam à casa do Pai, matava o vitelo gordo e dava a melhor roupa. Assim, de muitas maneiras, Deus ia preparando o gênero humano em vista da salvação futura.

Eis por que João diz no Apocalipse: Sua voz era como o fragor de muitas águas (Ap 1,15). Na verdade, são muitas as águas do Espírito de Deus, porque é muita a riqueza e grandeza do Pai. E, passando através de todas elas, o Verbo concedia generosamente o seu auxílio a quantos lhe estavam submetidos, prescrevendo uma lei adaptada e adequada a cada criatura.

Deste modo, dava ao povo as leis relativas à construção do tabernáculo, à edificação do templo, à escolha dos levitas, aos sacrifícios e oblações, às purificações e a todo o restante do serviço do altar.

Deus não precisava de nada disso, pois é desde sempre rico de todos os bens, e contém em si mesmo a suavidade de todos os aromas e de todos os perfumes, mesmo antes de Moisés existir. Mas educava um povo sempre inclinado a voltar aos ídolos, dispondo-o, através de muitas etapas, a perseverar no serviço de Deus. Por meio das coisas secundárias chamava-o às principais, isto é, pelas figuras à realidade, pelas temporais, às eternas, pelas carnais, às espirituais, pelas terrenas, às celestes, tal como foi dito a Moisés: Farás tudo segundo o modelo das coisas que viste na montanha (Ex 25,40).

Durante quarenta dias, com efeito, Moisés aprendeu a guardar as palavras de Deus, os sinais celestes, as imagens espirituais e as figuras das coisas futuras. Paulo também disse: Bebiam de um rochedo espiritual que os acompanhava – e esse rochedo era Cristo (1Cor 10,4). E acrescenta ainda, depois de ter falado dos acontecimentos referidos na Lei: Estas coisas lhes aconteciam em figura e foram escritas para nos admoestar e instruir, a nós que já chegamos ao fim dos tempos (1Cor 10,11).

Por meio dessas figuras, portanto, eles aprendiam a temer a Deus e a perseverar em seu serviço. E assim a Lei era para eles, ao mesmo tempo, norma de vida e profecia das realidades futuras.


Pedidos de Oração