05/08/2021


QUINTA-FEIRA DA 18º SEMANA DO TEMPO COMUM

Aclamação ao evangelho Mt 16,18
Aleluia, Aleluia, Aleluia.

Tu és Pedro e sobre esta pedra,
eu irei construir minha Igreja.
E as portas do inferno não irão derrotá-la!

Evangelho

Tu és Pedro.
Eu te darei as chaves do Reino dos Céus.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 16,13-23
Naquele tempo,
Jesus foi à região de Cesaréia de Filipe
e ali perguntou aos seus discípulos:
“Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”
Eles responderam:
“Alguns dizem que é João Batista;
outros que é Elias;
Outros ainda,
que é Jeremias ou algum dos profetas”.
Então Jesus lhes perguntou:
“E vós, quem dizeis que eu sou?”
Simão Pedro respondeu:
“Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo.”
Respondendo, Jesus lhe disse:
“Feliz és tu, Simão, filho de Jonas,
porque não foi um ser humano que te revelou isso,
mas o meu Pai que está no céu.
Por isso eu te digo que tu és Pedro,
e sobre esta pedra construirei a minha Igreja,
e o poder do inferno nunca poderá vencê-la.
Eu te darei as chaves do Reino dos Céus:
tudo o que tu ligares na terra
será ligado nos céus;
tudo o que tu desligares na terra
será desligado nos céus”.
Jesus, então, ordenou aos discípulos
que não dissessem a ninguém que ele era o Messias.
Jesus começou a mostrar aos seus discípulos
que devia ir à Jerusalém
e sofrer muito da parte dos anciãos,
dos sumos sacerdotes e dos mestres da Lei,
e que devia ser morto e ressuscitar no terceiro dia.
Então Pedro tomou Jesus à parte
e começou a repreendê-lo, dizendo:
“Deus não permita tal coisa, Senhor!
Que isto nunca te aconteça!”
Jesus, porém, voltou-se para Pedro, e disse:
“Vai para longe, Satanás!
Tu és para mim uma pedra de tropeço,
porque não pensas as coisas de Deus
mas sim as coisas dos homens!”
Palavra da Salvação.

QUINTA-FEIRA DA 18º SEMANA DO TEMPO COMUM

Jorrou água em abundância.

Leitura do Livro dos Números 20,1-13

Naqueles dias,
toda a comunidade dos filhos de Israel
chegou ao deserto de Sin, no primeiro mês,
e o povo permaneceu em Cades.
Ali morreu Maria e ali mesmo foi sepultada.
Como não havia água para o povo,
este juntou-se contra Moisés e Aarão,
e, levantando-se em motim, disseram:
“Antes tivéssemos morrido,
quando morreram nossos irmãos diante do Senhor!
Para que trouxestes a comunidade do Senhor a este deserto,
a fim de que morrêssemos, nós e nossos animais?
Por que nos fizestes sair do Egito
e nos trouxestes a este lugar detestável,
em que não se pode semear,
e que não produz figueiras,
nem vinhas nem romãzeiras,
e, além disso, não tem água para beber?”
Deixando a comunidade,
Moisés e Aarão foram até a entrada da Tenda da Reunião,
e prostraram-se com a face em terra.
E a glória do Senhor apareceu sobre eles.
O Senhor falou, então, a Moisés, dizendo:
“Toma a tua vara e reúne o povo,
tu e teu irmão Aarão;
na presença deles ordenai à pedra e ela dará água.
Quando fizeres sair água da pedra,
dá de beber à comunidade e aos seus animais”.
Moisés tomou, então, a vara
que estava diante do Senhor,
como lhe fora ordenado.
Depois, Moisés e Aarão
reuniram a assembleia diante do rochedo,
e Moisés lhes disse:
“Ouvi, rebeldes!
Poderemos, acaso, fazer sair água desta pedra para vós?”
E, levantando a mão,
Moisés feriu duas vezes a rocha com a vara,
e jorrou água em abundância,
de modo que o povo e os animais puderam beber.
Então o Senhor disse a Moisés e a Aarão:
“Visto que não acreditastes em mim,
para manifestar a minha santidade
aos olhos dos filhos de Israel,
não introduzireis este povo na terra que lhe vou dar”.
Estas são as águas de Meriba,
onde os filhos de Israel disputaram contra o Senhor,
e ele lhes manifestou a sua santidade.
Palavra do Senhor.

SALMO RESPONSORIAL

Salmo 94(95),1-2.6-7.8-9 (π. 8ab)

Oxalá ouvísseis hoje a sua voz:
Não fecheis os corações como em Meriba.

Vinde, exultemos de alegria no Senhor, *
aclamemos o Rochedo que nos salva!
Ao seu encontro caminhemos com louvores, *
e com cantos de alegria o celebremos!

Vinde adoremos e prostremo-nos por terra, *
e ajoelhemos ante o Deus que nos criou!
Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, †
e nós somos o seu povo e seu rebanho, *
as ovelhas que conduz com sua mão.

Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: †
“Não fecheis os corações como em Meriba, *
como em Massa, no deserto, aquele dia,
em que outrora vossos pais me provocaram, *
apesar de terem visto as minhas obras”.

DEDICAÇÃO DA BASÍLICA DE SANTA MARIA MAIOR

Texto patrístico. Da Homilia pronunciada no Concílio de Éfeso

por São Cirilo de Alexandria, bispo
(Hom. 4: PG 77, 991.995-996)

Contemplo esta assembléia de homens santos, alegres e exultantes que, convidados pela santa e sempre Virgem Maria e Mãe de Deus, prontamente acorreram para cá. Embora oprimido por uma grande tristeza, a vista dos santos padres aqui reunidos encheu-me de júbilo. Neste momento, vemos realizarem-se entre nós aquelas doces palavras do salmista Davi: Vede como é bom, como é suave os irmãos viverem juntos bem unidos! (Sl 132,1).

Salve, ó mística e santa Trindade, que nos reunistes a todos nós nesta igreja de Santa Maria, Mãe de Deus.

Salve, ó Maria, Mãe de Deus, venerável tesouro do mundo inteiro, lâmpada inextinguível, coroa da virgindade, cetro da verdadeira doutrina, templo indestrutível, morada daquele que lugar algum pode conter, virgem e mãe, por meio de quem é proclamado bendito nos santos evangelhos o que vem em nome do Senhor (Mt 21,9).

Salve, ó Maria, tu que trouxeste em teu sagrado seio virginal o Imenso e Incompreensível; por ti, é glorificada e adorada a Santíssima Trindade; por ti, se festeja e é adorada no universo a cruz preciosa; por ti, exultam os céus; por ti, se alegram os anjos e arcanjos; por ti, são postos em fuga os demônios; por ti, cai do céu o diabo tentador; por ti, é elevada ao céu a criatura decaída; por ti, todo o gênero humano, sujeito à insensatez dos ídolos, chega ao conhecimento da verdade; por ti, o santo batismo purifica os que crêem; por ti, recebemos o óleo da alegria; por ti, são fundadas Igrejas em toda a terra; por ti, as nações são conduzidas à conversão.

E que mais direi? Por Maria, o Filho Unigênito de Deus veio iluminar os que jazem nas trevas e nas sombras da morte (Lc 1,77); por ela, os profetas anunciaram as coisas futuras; por ela, os apóstolos proclamaram aos povos a salvação; por ela, os mortos ressuscitam; por ela, reinam os reis em nome da Santíssima Trindade.

Quem dentre os homens é capaz de celebrar dignamente a Maria, merecedora de todo louvor? Ela é mãe e virgem. Que coisa admirável! Este milagre me deixa extasiado. Quem jamais ouviu dizer que o construtor fosse impedido de habitar no templo que ele próprio construiu? Quem se humilhou tanto a ponto de escolher uma escrava para ser sua própria mãe?

Eis que tudo exulta de alegria! Reverenciemos e adoremos a divina Unidade, com santo temor veneremos a indivisível Trindade, ao celebrar com louvores a sempre Virgem Maria! Ela é o templo santo de Deus, que é seu Filho e esposo imaculado. A ele a glória pelos séculos dos séculos. Amém.




SANTO(a) DO DIA
DEDICAÇÃO DA BASÍLICA  DE SANTA MARIA MAIOR
DEDICAÇÃO DA BASÍLICA DE SANTA MARIA MAIOR

Saiba mais.




TESTEMUNHA DA HUMANIDADE

Pedidos de Oração